Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
A cor do Mel

01/02/2007

Em um mercado consumidor competitivo e multinacional, a definição atual de qualidade é fundamentada na satisfação das expectativas do consumidor, e discordar desta tendência significa comprometer o sucesso da comercialização do produto junto ao mercado. Atualmente, os produtos alimentícios têm que satisfazer numerosos critérios de qualidade e certificação antes da comercialização, especialmente em países industrializados que exigem uma demanda de produtos alimentícios de alta qualidade com características bem definidas.

O mel não é nenhuma exceção, e na Europa sua composição e produção são reguladas, desde 1974, pelo Conselho Diretivo 74/409/EEC. Em junho de 2000, este Conselho redigiu uma concordância política sobre uma nova diretiva para harmonizar o mel no mercado europeu.

No Brasil, o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Mel está fundamentado na Instrução Normativa nº 11, de 20 de outubro de 2000, publicada no Diário Oficial da União – DOU de 23 de outubro de 2000, seção I, p. 16-17, tendo em vista a Resolução MERCOSUL GMC 89/99.

Portanto, na atualidade, existe em todos os países um interesse crescente para efetuar um controle de qualidade nos diferentes produtos alimentícios, em especial quando estes estão sujeitos ao comércio exterior. Assim, no caso do mel, o controle de qualidade deve-se realizar para entregar ao mercado um produto que conservando suas propriedades naturais, possua características que facilitem sua utilização e que tenha uma adequada conservação e apresentação. Para comercializar com êxito o mel no mercado internacional é indispensável conhecer as exigências especiais de cada país importador.

No mercado mundial, o mel é avaliado por sua cor, e méis claros alcançam preço mais alto que os escuros. Além da cor, o aroma e o sabor também são importantes no critério qualitativo essencial que tem sido adotado para escolha de mel pelos importadores, processadores e consumidores.

Aroma e sabor estão relacionados diretamente com a cor do mel. Quanto mais escuro o mel, mais forte seu aroma e seu sabor.

O sabor e o aroma dos méis, como de qualquer outro gênero alimentício, são mais importantes que sua cor, mas são mais difíceis de serem avaliados quantitativamente que a cor. Existe uma conexão imperfeita entre cor e sabor, na qual os méis com um sabor delicado são sempre claros, enquanto que os méis escuros têm, normalmente, um sabor forte. Mas existem alguns méis claros com um sabor forte.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Regina Célia Della ModestaEnvie um email!
Pesquisador - EMBRAPA/CTAA

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • cor de meis brasileiro
    Trabalho na de consultoria p/ o SEBRAE-SPem apicultura e tenho uma pequena criaçaõ de abelhas,mais defendo os meis escuros como sabedoro que eles possuem mais minerais que os de coloração clara, pois já estamos com laudos que estes tipos de meis esta sendo indicado tanto p/ idosos,gestantes,e crianças, então eu sou defensor dos meis escuros pelos beneficios que eles nos dá.
    Antonio Cideni Gandra - 26/05/08 17:07

  • mel como aperitivo na pinga
    Bom dia,estou desenvolvendo um tipo de aperitivo para o casamento de minha filha. Já fiz várias experiencias, mas tenho minhas dúvidas se até o mês de maio não vai estragar se eu fizer hoje. tenho algumas perguntas: 1. 50ml de mel misturado com 50ml de álcool de cereais com o tempo vai cristalizar? 2. O álcool acrescentado no mel ajuda a não cristalizar o mel? Obrigado pela atenção, vou precisar de mel, preços etc... Virgilio
    virgilio - 27/01/08 10:53

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br