Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
A Força do Rádio e os Novos Desafios da Comunicação Rural

22/06/2005

:. Do mesmo autor
O Sinal Verde para a Reestruturação da Agroindústria do Leite no Agreste Pernambucano

Entre todos os meios de comunicação de massa, o rádio tem se destacado como exemplo de força, graças a sua popularidade e poder de penetração em localidades comumente inacessíveis a outros veículos tradicionais e igualmente fortes da mídia. Nem a chegada da televisão ao Brasil, há mais de 50 anos, nem mesmo o advento da Internet, no final do século passado – esta de acesso ainda limitadíssimo à população rural, sobretudo aqui no Nordeste -, constituiu ameaça ao poderio do velho e conhecido receptor. Sabe-se, todavia, que as rádios brasileiras de amplitude modulada (AM’s) vêm enfrentando sérias dificuldades. Em anos mais recentes, algumas delas sendo levadas a promoverem significativas mudanças em sua grade de programação, na tentativa de sobreviverem e se adaptarem aos novos tempos. Paralelamente, houve, nos últimos dez anos, uma exagerada proliferação das emissoras comerciais de freqüência modulada (FM’s).

Segundo dados do Ministério das Comunicações, nos estados de Alagoas, Amapá, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Sergipe e São Paulo as rádios em frequência modulada suplantaram em quantidade as AM`s. Além disso, a década de 1990 assinala a legalização de centenas de rádios comunitárias, ora presentes na maioria dos municípios brasileiros, grande parte das quais prestando valiosos serviços às comunidades onde estão instaladas. Por sinal, prestação de serviços tem sido o lema daquelas emissoras que buscam melhorar os índices de audiência, qualquer que seja sua localização, sua área de abrangência, seu público ouvinte etc, independentemente de serem comunitárias, educativas ou comerciais.

O impacto do rádio como veículo de comunicação além do interesse político em sua utilização reiteram o seu potencial e a sua influência. É o veículo de comunicação mais presente nos lares brasileiros, sendo também um dos mais democráticos do nosso país. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 88,9% dos domicílios brasileiros possuíam, no ano de 1995, pelo menos um aparelho receptor de rádio. Esse mesmo levantamento do IBGE, mostra ainda que a presença do rádio nos lares brasileiros ocorre em índices superiores aos da televisão. Em alguns casos, 100% superiores. Impera a hegemonia do rádio, inclusive, em regiões de difícil acesso.

Páginas: anterior 1 2 3 próxima Topo da página


José Gouveia FigueiroaEnvie um email!
Técnico de Nível Superior - EMBRAPA/CPATC

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

:. ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos por assunto

Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br