Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
A importância do capital de giro no agronegócio

13/05/2005

Sempre que uma catástrofe natural se abate sobre a agricultura, os produtores rurais brasileiros enfrentam a mesma situação desesperadora: falta dinheiro para pagar os financiamentos e empréstimos contraídos para o plantio. A mesma situação se repete quando o preço de alguma commodity sofre alteração no mercado internacional. Os dois exemplos recentes, e graves, se abateram nos últimos meses sobre a agricultura brasileira – a seca prejudicou principalmente a produção no Sul do país e o preço da soja caiu em nível global. Como conseqüência, os agricultores vão amargar prejuízos consideráveis em 2005.

O Brasil é uma potência agropecuária: é o terceiro maior exportador agrícola mundial, atrás apenas dos Estados Unidos e da União Européia. Desponta como o primeiro produtor e exportador de café, suco de laranja e açúcar. É o segundo maior na produção de soja, e tem a liderança na exportação desse grão. Também está na segunda colocação no ranking mundial em produção e exportação de farelo e óleo de soja.

Para manter este ranking e crescer com as oportunidades que surgem pela demanda mundial por alimentos, o governo deve mudar a forma de encarar a agricultura. Para evitar ou minimizar perdas futuras, existem dois caminhos possíveis. O primeiro passa pelo governo. São ações básicas: investir em políticas claras e de longo prazo para o setor, ofertar um seguro rural que garanta a renda do produtor e criar mecanismos para equilibrar o mercado, usando um estoque regulador de produtos quando for necessário. No caso do seguro de renda, a medida está ao alcance do governo. Basta implementar.

Não se tratam de subvenções, proteção ou ajuda, mas de criar condições que garantam a estabilidade deste mercado influenciado a cada safra por variáveis incontroláveis, como o tempo.

Com o governo dando a base, podemos começar a trilhar o segundo caminho, ou seja, a formação de capital de giro nas propriedades. Hoje, o agricultor consegue apenas sobreviver e vive o momento. Comemora safras recordes e não faz reservas porque quase sempre é arrojado e reinveste o que ganha. Aliás, esta é uma condição essencial para se manter no mercado, mas acaba se refletindo em outra realidade: com a implantação de técnicas e equipamentos modernos, a produção tende a aumentar e os preços caem.

O produtor não tem saída: se parar de investir, sai do mercado; se modernizar a produção, vê os preços caírem. A lógica é cruel e, neste ciclo, dificilmente sobra algum recurso para criar fundos de reservas.

O capital de giro, comum nas empresas, é peça chave para a estabilidade da agricultura e da própria economia. Quando o agricultor perde uma safra, toda a cadeia ao seu redor se desestabiliza, com reflexos quase sempre geradores de problemas mais sérios, como o aumento do êxodo rural. Outra conseqüência direta é o reflexo no comércio dos municípios de economia agrícola. A queda brusca de renda pode inviabilizar a administração das pequenas cidades. Sem dinheiro, o agricultor não compra, o comerciante não vende e os pequenos municípios ficam ainda mais pequenos.

É justo que o produtor rural precise poupar mas hoje ele não consegue. Sem seguro de renda, políticas de longo prazo, medidas de emergência para controlar o estoque de preços e regular o mercado, a situação não vai melhorar. A mudança é cultural e precisa acontecer para que o agronegócio continue apresentando os bons resultados dos últimos anos.

Evaristo Machado NettoEnvie um email!
Presidente Ocesp - SP - Ocesp/Sescoop-

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • manografia
    ola boa tarde o meu TCC e sobre "a influencia da tecnologia no agronegorcio" gostaria de receber artigos e novidades sobre este tema!obrigada
    Aldenice da Silva Mota - 03/02/10 17:41

  • monografia
    OLÁ,ESTOU ESCREVENDO MEU TCC SOBRE GASTOS RASTREÁVEIS NA CULTURA DA LARANJA,GOSTARIA DE RECEBER ARTIGOS SOBRE ESSE ASSUNTO. AGUARDO RESPOSTAS. GRATA ELISANGELA
    Elisangela - 14/10/09 14:59

  • monografia
    MEU TEMA DE MONOGRAFIA É GESTÃO DE AGRONEGÓCIO E GOSTARIA DE RECEBER ARTIGOS SOBRE O ASSUNTO. AGUARDO RESSPOSTA, GRATA.
    GISLENE - 16/06/08 09:32

  • AGRONEGOCIO
    ARTIGO LEGAL
    ELIANE - 01/04/08 21:23

  • Monográfia
    Estou fazendo minha monográfia com o agronegócio e gostaria muito de estar recebendo mais artigos sobre esse tema.
    Robson Cayres Morais - 28/02/08 20:40

  • capital de giro no agronegócio
    Muito importante e oportuno esse artigo.O governo esta devendo um melhor tratamento para o setor primário, já que o setor é responsável por aproximadamente 40% do PIB. O capital de giro é vital principalmente na aquisição de insumos em periodos de entresafra.
    josé alexandre machado zanini - 19/08/06 15:53

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br