Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Agroenergia: Óleos vegetais, o substituto do diesel

29/11/2005

Antes do uso dos derivados de petróleo em larga escala (século XX e início do século XXI), as principais fontes de energia utilizada pela civilização eram o carvão mineral e os produtos da biomassa, principalmente de madeira ou subprodutos da atividade agrícola. O aumento da demanda de derivados de petróleo e consequentemente alta de preço têm estimulado o desenvolvimento de combustíveis alternativos. Para a gasolina, o álcool já demonstrou sua eficiência e o Brasil é o líder mundial nesse tipo de combustível. Para o diesel, o combustível líquido mais usado no Brasil, principalmente em veículos de transporte de carga e passageiros, os primeiros passos para sua substituição ainda estão começando. A principal fonte para os substitutos de diesel estudados tem sido os óleos vegetais e gorduras animais, que são compostos químicos denominados de triglicerídeos. Há três caminhos que estão sendo analisados para a produção de substitutos do diesel a partir dos trigligerídeos: O uso do óleo vegetal virgem; dos produtos de pirólise dos triglicerídeos (semelhante ao craqueamneto do petróleo) e a conversão dos triglicerídeos em mono-esteres pelo processo de transesterificação (esse último produto é que tem sido denominado oficialmente de biodiesel). As vantagens e desvantagens de cada tecnologia são:

1- O uso direto dos óleos vegetais em motores diesel.

A grande vantagem desse produto é que pode ser obtido diretamente de grãos por simples processo de prensagem e filtragem e assim é o que tem menor custo de produção. Quando o motor diesel foi desenvolvido pelo engenheiro alemão Rudolph Diesel, em 1859, usou como combustível de seu motor o óleo de amendoim. Como o petróleo e seus derivados se tornaram abundantes e baratos no início do século 20, os motores tipo diesel foram adaptados para usarem o óleo de petróleo, denominados de óleo diesel.

No entanto, antes de morrer fez a seguinte declaração sobre o uso óleos vegetais em motores diesel:

“O uso de óleos vegetais para combustíveis de motores hoje é insignificante. Mas podem se tornar, com o tempo, um produto tão importante quanto o petróleo e o carvão são hoje”. Rudolph Diesel, 1912.

As crises de petróleo ocorridas nos últimos 30 anos provocaram muitos estudos do uso de óleos vegetais como substituto para o diesel, tanto no Brasil quanto no exterior, principalmente no final da década de 70 e começo da de 80.

No Brasil, foram feitos diversas análises com uso de óleos vegetais in natura em caminhões e máquinas agrícolas. No entanto, essas avaliações demonstraram que há vários problemas a serem resolvidos: Grande depósito de carbono nos motores; entupimento dos filtros e bicos injetores; contaminação do óleo do motor entre outros fatores e que comprometem a durabilidade do motor e aumenta os custos com manutenção. Atualmente estão sendo realizados novos trabalhos tentando reduzir esses problemas. Alguns desses trabalhos têm demonstrado que algumas adaptações nesses motores têm permitido o uso de óleos vegetais em motores estacionários de grande porte, principalmente, para geração de energia elétrica. Como esses motores funcionam continuamente, pode-se utilizar uma câmara de aquecimento do óleo vegetal para reduzir a viscosidade e facilitar a injeção na câmara de combustão.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Luiz Alberto ColnagoEnvie um email!
Pesquisador - EMBRAPA/CNPDIA

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • bio diesel
    ola eu frabrico bio diesel a mais de um ano com Ôleo de fritura usado ,uso na acricultura,tenho um trator e uma tobata uso 100% de bio diesel.
    waldir muniz ramos - 04/01/08 13:51

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br