Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
As Plantas Medicinais do Pantanal

25/09/2009

:. Do mesmo autor
Plantas de no-de-cachorro na região da Nhecolândia, pantanal

Canteiros de plantas medicinais para multiplicação

Doação de mudas de plantas medicinais e condimentares

Cumbaru no pantanal

O Pantanal é um lugar único no planeta, onde há um esforço muito grande de se preservar a flora e sua distribuição/multiplicação. A vegetação da região é composta por espécies que variam conforme a topografia e os diferentes níveis de alagamento, criando-se assim ecossistemas únicos que podem ser identificados sobre lagoas permanentes e temporárias, lagoas salobras, campos cerrados, cordões arenosos e matas.

Devido ao fato da flora do Pantanal ser caracterizada pela riqueza vegetal, a vegetação desta área é o principal recurso natural explorado pelo homem, como por exemplo, a exploração de plantas nativas com potencial medicinal . A espécie Heteropterys aphrodisiaca O. Mach., popularmente conhecida como “nó-de-cachorro”, usada para fins medicinais, como problemas de visão e disenteria, debilidades nervosas, doenças venérias, e como afrodisíaco, não deixa de ser, juntamente com outras dezenas de espécies, um exemplo que se encontra vulnerável a esse tipo de prática. Como parte da cultura local, plantas com tal potencial medicinal já eram utilizadas no passado por índios da região como remédio para males.

Atualmente, como as demais espécies utilizadas para a chamada medicina popular, as plantas medicinais vêm sendo exploradas de forma extrativista e indiscriminada, carente em um controle eficaz conciliando exploração e preservação. Um fator agravante seria o crescimento deste público que tenta atender a demanda, que por sua vez também aumenta.

Para a Embrapa Pantanal, racionalizar esta exploração indiscriminada das espécies com potencial medicamentoso, seja ele comprovado ou não, resgatando espécies que seriam mais utilizadas por assentados e outros (no caso feirantes e comerciantes), seria uma medida alternativa extremamente importante para a exploração sustentável da vegetação do Pantanal. Esta racionalização seria caracterizada pela produção de mudas e sementes de tais espécies para suprir a demanda sem agredir a mata e, conseqüentemente, preservar espécies nativas que poderiam ser extintas simplesmente como resultado desta prática de exploração.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Marçal Henrique Amici JorgeEnvie um email!
Pesquisador - EMBRAPA/CPAP

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

:. ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos por assunto

Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br