Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Biodiesel - uma reflexão tecnológica.

01/02/2007

:. Do mesmo autor
O cafezinho nosso de cada dia

Atualmente, só se fala em biocombustível, especificamente do biodiesel que nada mais é do que uma transformação de óleos vegetais, ácidos graxos, em substâncias chamadas de ésteres, através de um processo que envolve o álcool metílico (metanol) ou o etílico (etanol), a transesterificação. Esse processo é necessário apenas para deixar o combustível mais adequado às condições de funcionamento dos motores diesel. Normalmente tais motores poderiam receber os óleos vegetais diretamente, mas devido aos problemas mecânicos que causam como também maior emissão de gases para o ambiente, além de outros fatores tais como temperatura, solidificação, ignição, etc., o processo de transformação citado se tornou necessário. Outros métodos para transformar óleo vegetal em biodiesel também são aplicados, pode-se mencionar o craqueamento (pirolítico) que corresponde aquecer o óleo a altas temperaturas, entre outros. Tudo isso são resultados de pesquisas para se obter as melhores condições de funcionamento a custo energético mínimo.

A opção brasileira está na aplicação do etanol como via para a obtenção do biodiesel. Com isso, requererá maior demanda na produção de álcool. Sendo o Brasil um dos maiores produtores de etanol no mundo, isto parece não ser grande problema já que esta tecnologia está bem definida ou dominada, apenas necessitando de alguns ajustes. O problema está na oleaginosa a ser usada.

A flora brasileira é rica em espécies produtoras de óleos. Atualmente, são citados os óleos de soja, milho, girassol, dendê ou palma, mamona, canola, pião manso, e outras como possíveis fontes de óleos para biodiesel. Vale salientar que espécies como soja e milho são produzidas em grande escala para uso alimentício seja humano ou animal. Internacionalmente, a soja é a mais usada ou a mais citada na literatura especializada.

Decorrentes da produção do biodiesel pela rota alcoólica surgem resíduos que necessitam de estudos para aproveitamentos e recuperação e/ou transformação em outros produtos. Como resíduos dessa produção encontram-se: a glicerina, como subproduto do processo químico; as tortas que podem se transformar farelos após tratamentos específicos; a soda que pode ser parcialmente recuperada; a água usada na lavagem e separação do biodiesel, entre outros resíduos que surgem em proporções menores.

O processo de transesterificação já é bem estudado nas rotas citadas, portanto, isto já não é um problema tão sério, o problema reside em transformar os resíduos em novos produtos ou em produtos recuperáveis. A glicerina muito usada na indústria de cosméticos, já existe uma demanda, mas será saturada logo que a produção do combustível se tornar em larga escala. Pensando nisso, a Embrapa Instrumentação Agropecuária/São Carlos/SP tem um pesquisador nos Estados Unidos trabalhando na transformação da glicerina em polímeros para uso geral. Isso resolverá parte dos problemas. Uma vez, obtidos os polímeros, mais valores serão agregados, pois sabemos que a maioria dos nossos utensílios domésticos, roupas etc. são poliméricos. Ainda, no processo de obtenção do biodiesel temos a soda e sabão. Esses são recuperáveis e úteis. A soda pode ser reutilizada no processo e o sabão submetido aos tratamentos apropriados ao uso de limpeza. A indústria de material de limpeza já estão bem fundamentadas e não constitui um problema. A torta requer um estudo também aprofundado devido às origens das oliaginosas empregadas no processo de biodiesel. A torta de soja e de algumas outras sementes já são fontes de farelos e outros alimentos. Mas as tortas de oliaginosas que apresentam características tóxicas devem ser submetidas a estudos profundos de desentoxicação e de sanidades seja como alimentos de animais seja para o meio ambiente.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Washington Luiz de Barros MeloEnvie um email!
Pesquisador - EMBRAPA/CNPDIA

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • tecnologia de inovação
    EU ACHEI O TEXTO MUITO BOM MAS GOSTARIA DE SABER SE O BRASIL POSSUI CAPACIDADE PARA EXPORTAÇÃO DE BIODIESEL OBRIGADA
    rubia - 31/01/08 14:58

  • gostei
    gostei disto mas se voces podessem mandar um texto falando se o biodiesel poderia congelar que dalves possa na regiao sul ou se o diesel aditivado pode congelar.sou Bernardo Mantovani tenho 14 anos e gostaria que voces me ajudassem no meu projeto. obrigado
    Bernardo - 19/05/07 21:01

  • BIODIESEL - UMA REFLEXãO TECNOLóGICA.
    Parabéns ao Sr Washington Luiz de Barros Melo, pela ótica futurista e realista do seu artigo. O primor da sua visão abre um leque de outros caminhos que devem ser analisadas, alem do entusiasmado tema em questão. Seu ponto de vista e oportuno, criterioso e merece aplausos. Um abraço. Wanderley Costa
    wanderley da costa - 11/02/07 20:26

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br