Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Manejo sanitário de bezerros leiteiros: recomendações técnicas

25/11/2008

INTRODUÇÃO

Dentro de um Sistema de produção de bovinos leiteiros, o produtor necessita associar fatores como genética, nutrição e sanidade para a obtenção do potencial máximo de produtividade dentro de sua propriedade. De nada adianta a fazenda apresentar um plantel com genética e fornecer alimentos em quantidade e qualidade se o produtor descuidar do manejo sanitário do rebanho, ocasionando assim o retardamento ou até mesmo impedindo que o animal expresse todo o seu potencial de produtividade.

O período que compreende do nascimento a desmama é a fase mais crítica na fazenda, quando a taxa de mortalidade poderá ser elevada se o produtor não tomar o devido cuidado no manejo sanitário do rebanho.

Dentre os cuidados na criação de bezerros leiteiros, os seguintes fatores devem ser observados: cuidados com as vacas antes do parto, fornecimento do colostro, cura do umbigo, aleitamento e o fornecimento gradual de volumoso e concentrado para o correto desenvolvimento e funcionamento do rúmen.

CUIDADOS COM AS VACAS 60 DIAS ANTES DO PARTO

- Separá-la dos outros animais em piquete apropriado, contendo área para pastagem, sombreamento e cocho coberto;

- A vaca deverá se apresentar com ausência de lactação;

- 30 dias antes do parto a vaca deverá ser vacinada contra paratifo, onde produzirá anticorpos que serão transferidos para os bezerros através do colostro.

CUIDADOS COM OS BEZERROS NO PÓS - PARTO

- Logo após o nascimento, se necessário, realizar a limpeza da região da boca e nariz para retirada de muco, coágulos e restos de membranas fetais para que o animal possa respirar sem dificuldades;

- O bezerro deve mamar o colostro o mais rápido possível (antes de 6 horas de nascimento - 100 mL de colostro/kg de peso vivo nas primeiras 24 horas de vida). Deve-se acompanhar de perto este procedimento para certificação de que o animal realmente mamou o colostro;

- Deve-se realizar o corte (com uma tesoura limpa - deixar em torno de dois dedos abaixo da inserção do umbigo junto ao corpo do animal) e cura (álcool iodado a 10%) do umbigo. Caso seja necessário (principalmente na época das águas onde tem grande prevalência de moscas no estábulo/curral) pode-se utilizar um spray repelente de moscas;

- O tratamento do umbigo deverá ser feito de três a quatro dias. Caso tudo ocorra bem, o coto umbilical cairá dentro de nove dias após o nascimento;

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Flávio Barros Sant´AnnaEnvie um email!
Pesquisador - EMBRAPA/CPAC

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • vacinas
    e muito importante ter informações sobre essas vacinas.
    ana camila - 10/11/09 15:46

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br