Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Índice de qualidade de bacia – nova proposta para gestão da bacia do rio Miranda

20/08/2007

:. Do mesmo autor
Poluição por pesticidas no Pantanal

Ocorrência do fenômeno natural “dequada” no pantanal.

A influência do ciclo de cheias e secas na sustentação da cadeia alimentar do rio Paraguai, Pantanal - MS.

Contaminação de corpos d'água na região de Corumbá

Determinação de impactos e conservação dos recursos hídricos na bacia do alto Paraguai

A realidade da maioria dos rios no país é de perda de qualidade e quantidade de água, uma vez que a abordagem tradicional de gerenciamento de recursos hídricos foi sempre setorial e de resposta a crises. A água destinada à produção de energia elétrica, irrigação, abastecimento público ou navegação é considerada um recurso isolado para cada finalidade e a falta de coordenação entre os diversos setores, com base numa análise integrada e de usos múltiplos (Lei de Recursos Hídricos 9.433/1997), acaba por criar conflitos. A conseqüência principal dessa abordagem setorial, que não considera a própria manutenção dos processos ecológicos do corpo d’água, é a escassez e a degradação da qualidade. Assim, a necessidade de considerar que os serviços prestados pelos ecossistemas aquáticos necessitam de uma abordagem multisetorial e interdisciplinar é premente.

Portanto, com o objetivo de contribuir cientificamente para o manejo mais eficiente dos recursos hídricos, tendo a bacia hidrográfica como unidade de planejamento, a Embrapa Pantanal, em conjunto com seus parceiros (AIIEGA, UFMS, SEMAC/IMASUL, UCDB, UFMT, IPH/UFRGS, Embrapa Informática Agropecuária, EESC - USP), além dos colaboradores INPE, Embrapa Solos, Embrapa Gado de Corte, CIDEMA e NUPELIA-UEM, propõe elaborar uma ferramenta de gestão alternativa ao enquadramento desses ecossistemas: um Índice de Qualidade de Bacias (IQB). O enquadramento com base no IQB integrará aspectos hidrológicos, ecológicos (limnológicos e biogeoquímicos), de uso do solo (potencial de erosão, estado de conservação da bacia), econômicos e sociais numa abordagem sistêmica e mais abrangente do que o enquadramento proposto na Resolução CONAMA 357/2005.

Esta pesquisa faz parte do projeto “Desenvolvimento de indicadores da qualidade das bacias hidrográficas do Tietê/Jacaré (SP) e do rio Miranda (MS) para manutenção da qualidade da água” (Chamada Pública MCT/FINEP/CT-HIDRO GRH 1/2004) o qual tem como estudo de caso duas bacias com diferentes níveis de degradação ambiental: a do rio Tietê/Jacaré (SP), de elevado nível de degradação, e a do rio Miranda (MS), de baixo a médio. O objetivo deste edital da FINEP foi: “Desenvolver metodologias de enquadramento dos corpos d’água que assegurem ao longo do tempo a qualidade das águas adequada para os diversos usos de uma dada bacia”.

A bacia do Tietê/Jacaré pertence à bacia hidrográfica do rio Tietê, cujo trecho possui uma área de 11.784 km2, abrangendo 34 municípios e 1.313.987 habitantes (cerca de 112 hab./km2); destes apenas 12 apresentam tratamento de esgoto. Numa escala de qualidade de “crítica”, “preocupante” e “sem problemas”, esta bacia pode ser classificada como “preocupante”. A sub-bacia do rio Miranda (BHRM - 542 km de extensão) integra a bacia hidrográfica do Alto Paraguai (BAP - 362.000 km2), sendo formada por regiões de planalto que circundam a planície pantaneira, o Pantanal (140.000 km2), a maior área úmida do mundo. A BHRM possui aproximadamente 43.303 km² (12% da BAP), incluindo 23 municípios com 1.131.024 habitantes (26 hab./km2); apenas Bonito está em processo de implantação de tratamento de esgoto.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Débora Fernandes CalheirosEnvie um email!
Pesquisadora - EMBRAPA/CPAP

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

:. ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos por assunto

Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br