Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
O Marketing e o Agronegócio II

24/02/2002

:. Do mesmo autor
O Marketing e o Agronegócio

Porque sou favorável à soja transgênica - divagações de um pragmático

Nosso grande diferencial

Competentes e Maléficos

Novos instrumentos de Marketing no agronegócio

Novidade: Cooperativas de Cachaça

Um negócio moderno

O Estado moderno

Marketing do Agronegócio III - Uma Nova Roupagem

Responsabilidade Social

Mais instrumentos para a empresa cooperativa

Colocadas as premissas básicas e o quadro onde está desenhado o cenário mundial atual, focaremos nossos argumentos na necessidade de desenvolvermos conceitos, dentro da ciência “Marketing”, adequadas às aplicações no agronegócio. Como primeira tarefa conceituaremos, em nosso trabalho, o agronegócio.

Dois professores de Harvard foram os pais do neologismo agribusiness. John H. Davis e Ray Goldberg, usando as técnicas matriciais de insumo-produto, desenvolvidas pelo Nobel de Economia de 1973 Wassily Leontief, observaram que havia um novo sistema diferente do antigo, em gênero e espécie, o agribusiness, que seria a soma total das operações de produção e distribuição de insumos e novas tecnologias agrícolas, da produção propriamente dita, do armazenamento, do transporte, do processamento e distribuição dos produtos agrícolas e seus derivados. Há uma preocupação com a informação. A informação seria o meio de se agregar P&D aos produtos e processos, ou em outras palavras, agregar valor. “Organizar-se é integrar informação. Informação é tecnologia. É a informação que permite agregar valor ao produto.” Consideram que “nosso agribusiness é tipicamente um provedor de matérias primas para empresas que adicionam valor no âmbito internacional”. Sobre isto é feita uma interessante analogia com o sapato, típico produto da cadeia do agribusiness com agregação de valor. “A única diferença existente entre os sapatos de nossos avós, de couro rijo e solado com prego e o calçado de hoje é que o calçado moderno é o de nossos avós mais informação.”

“Para que o sistema do agribusiness possa avançar como um todo, em meio a um mundo de mudanças, é preciso dispor de um sistema de informações que possibilite obter informações em tempo real sobre todos os componentes do sistema e de sua integração.”

Neste ambiente do agribusiness estarão os atores de nossa proposta de discutir o marketing com foco no agronegócio: “os fornecedores de bens e serviços para a agricultura, os produtores rurais, os processadores, os transformadores e distribuidores e todos os envolvidos na geração e fluxo dos produtos de origem agrícola até o consumidor final.” (Associação Brasileira de Agribusiness - ABAG, 1993).

No final de Novembro de 2001, aconteceu em Uberaba (MG) O Simpósio Brasileiro da Agroindústria que merece ser mencionado pela qualidade de seus Palestrantes e pelo conteúdo de sua proposta: “ garantir a sustentabilidade na produção de alimentos. Tal sustentabilidade, se não conduzida adequadamente, com políticas de fomento à produção e tecnologia, pode induzir a investimentos de alto risco, causar desequilíbrio na balança comercial, agressões ao meio ambiente e, até mesmo, redução na oferta de empregos. Assim sendo, o Simpósio Brasileiro da Agroindústria visa despertar os participantes, então componentes dos segmentos da agroindústria, para a necessidade de garantir a perpetuação dos sistemas de produção segundo as óticas social, econômica e ambiental. Neste sentido, procuramos identificar nichos e tendências de mercado, bem como processos e atividades atualmente muito difundidas na cadeia de produção de alimentos. Para complementar a proposta, tornou-se necessário incluir o associativismo e a diversificação de atividades para melhorar a renda das pequenas propriedades.” Destaco outra característica do evento que proporcionará, a curto e médio prazo, resultados espetaculares. O local extremamente adequado, Casa do Folclore, onde conforto, tranqüilidade e praticidade, fomentou uma formidável troca de conhecimentos, um caldeamento de experiências, teorias, práticas e inexperiências. Os astros eram produtores rurais, professores de alta estirpe, pesquisadores, economistas, funcionários públicos, representantes de Cooperativas e os estudantes da FAZU – Faculdade de Agronomia e Zootecnia de Uberaba, organizadora do evento que tinha esta intenção: juntar a prática secular com o estado da arte da agropecuária, os órgãos públicos federais, estaduais e municipais, todos, questionando e sendo questionados, com a efetiva participação dos futuros técnicos do agronegócio. O grande destaque foi para estes estudantes que, cheios de dúvidas, beberam de todo o conhecimento e mostraram suas intenções: a tendência dos jovens para corrigir as falhas de seus pais e avós e cuidarem melhor do planeta, enquanto produzem.

Foi uma grande atividade de marketing para um público, um setor, que torna-se cada vez mais importante no cenário mundial.

Continuamos mostrando um cenário onde acontece o agronegócio para, nos próximos capítulos, apresentarmos instrumentos de marketing que serão aplicados para o desenvolvimento do setor. Adiantamos que a grande mudança tem acontecido na cabeça do consumidor e, infelizmente, a resposta dos atores do agronegócio tem sido lenta. Este será nosso principal foco: como dirigir o planejamento de nossas atividades levando em conta as grandes mudanças decorrentes de um consumidor poderoso, exigente e protegido.

Marcos Garcia JansenEnvie um email!
Diretor de Política Agrícola - SEAPA

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • agronegócio
    Bom comentário.Realmente se deve pensar em meios que visam a melhoria do agronegócio brasileiro.É errônia essa visão de que o campo só deve produzir matéria-prima para grandes indústrias,sendo que os verdadeiros produtores não são devidamente remunerados por isso.O marketing é a ferramenta essencial para se obter inovações no agronegócio,por isso o defendo.
    wilkyson do cetep-oeste baiano - 21/09/10 17:20

  • Excelente artigo - O MARKETING E O AGRONEGóCIO II
    Prezado redador e leitor do Agroline, Sou graduando do curso: Agronomia; no Estado de Alagoas. Logo de início quero parabenizar pelo excelente artigo, estusiasmador e motivador, despertando para um modelo sustentável de produção de alimentos. Atualmente estarei apresentando um trabalho acadêmino referente ao Marketing no Agribusiness e gostaria de insentivar o desenvolvimento no próximo tópico referente as metodologia de desenvolvimento de pesquisa. Dentro do Marketing existem temos bastante interessantes a serem desenvolvidos como: Diferenciação de produtos e serviços, Identificação de segmentos de mercado, lançamento de novos produtos e serviços e pesquisa de mercado. Grato pela atenção: Itamar Porangaba
    Itamar Porangaba - 17/06/07 11:32

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br