Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Pantanal registra o mais longo e intenso ciclo de cheia

05/05/2002

:. Do mesmo autor
A Problemática Socioeconômica e Ambiental da Bacia do Rio Taquari e Perspectivas

Pantanal: Risco de Contaminação por Biocidas

O nível do Rio Paraguai, em Ladário-MS, constitui o principal referencial do regime hidrológico da Bacia do Alto Paraguai (BAP). A BAP em território nacional, possui uma superfície de 361.666 km2, compreendendo o Pantanal (138.183 km2) e planaltos adjacentes (223.483 km2) onde nascem o Rio Paraguai e seus principais tributários. Entre os postos de medição dos níveis d’água dos rios, o de Ladário, localizado no centro-oeste do Pantanal, é o que mais dispõe de dados de toda a rede instalada na BAP, ou seja, possui registros diários desde 1900. Outra característica importante do posto de Ladário é que por ele passa a maioria do volume d’água da bacia, aproximadamente, 81% da vazão média de saída do território brasileiro.

Historicamente, quando o nível máximo do Rio Paraguai, em Ladário, supera o nível de alerta de enchente (4 metros), esse ano é considerado como um ano de cheia no Pantanal, caso contrário, caracteriza-se como ano de seca.

A ocorrência consecutiva de dois anos de seca no Pantanal, determina o início de um ciclo de seca. O mesmo raciocínio aplica-se ao ciclo de cheia. A alternância de ciclos de cheia e de seca, bem como a sazonalidade de enchente e vazante, ou seja, o regime hidrológico do Pantanal constituem importantes fatores intervenientes na sócio-economia e na biodiversidade da região.

Desde 1900, o Pantanal tem passado por ciclos longos de cheia e de seca, no entanto, nenhum foi tão atípico como o atual ciclo de cheia. O ciclo de cheias de 1942 a 1963 durou 22 anos. Nesse ciclo ocorreram 5 anos de seca e o nível médio da régua de Ladário foi de 2,54 m.

O maior ciclo de seca registrado no Pantanal foi de dez anos consecutivos de seca (1964 a 1973). Nesse ciclo de seca, o nível mínimo foi de 61 cm abaixo do zero da régua, ocorrido em 1964, o nível médio foi de 97 cm e o nível máximo não passou de 2,74 m, registrado em 1965.

As cheias pequenas de 1998, 1999 e 2000, quando o nível máximo não passou de 4,66 m, e principalmente a seca ocorrida no ano passado, quando o pico de cheia foi de apenas 3,15 m e o nível mínimo de 90 cm, criou a expectativa de que a partir de 2001 interromperia o atual ciclo de cheia no Pantanal. Ressalta-se que a seca de 2001 foi a maior dos últimos 28 anos (1974 a 2001). A menor cheia de 1974 a 2000, ocorreu em 1994, quando o nível máximo foi de 3,94 m.

Páginas: anterior 1 2 3 próxima Topo da página


Sérgio GaldinoEnvie um email!
Pesquisador - EMBRAPA/CPAP

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • curiosidade
    Eu adorei visitar o site, é mtoo legal.. é uma forma de aprendizagem completa!!! Prabens
    Laura Andrade - 24/03/10 14:30

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br