Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Produção de matéria seca do capim Cameroon Parnaíba - Piauí

03/10/2005

:. Do mesmo autor
Desmama de bezerros com base no desenvolvimento corporal

Irrigação e adubação nitrogenada do capim Tanzânia em Parnaíba - Piauí

O capim elefante é uma espécie forrageira de grande importância na alimentação de ruminantes, pela facilidade de implantação, adaptação e manejo, além da elevada produtividade. A espécie está amplamente distribuída por todas as regiões do país e é a gramínea mais utilizada para formação de capineiras para corte, e, ultimamente, para pastejo. Entretanto, uma desvantagem do capim-elefante é a estacionalidade da produção devido à deficiência hídrica, que pode ser superada pelo uso de irrigação. A irrigação, quando associada à adubação nitrogenada pode aumentar entre 20 e 70% a produção matéria seca das pastagens. Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito do nitrogênio e da idade de corte na produção de matéria seca do capim-elefante Cameroom Roxo irrigado nas condições edafoclimáticas dos tabuleiros costeiros do Piauí e Maranhão.

O experimento foi conduzido no período de agosto a outubro de 2002 e julho a agosto de 2003, na Unidade de Execução de Pesquisa de Parnaíba, pertencente a Embrapa Meio-Norte, localizada no município de Parnaíba, Piauí. O clima da região é quente e úmido, com estação seca bem definida (julho a dezembro) e pluviosidade média anual de 1.300 mm. A média das temperaturas máximas é de 36oC enquanto que a das mínimas é de 22oC. O solo da área é um Neossolo Quartzarênico Órtico Típico, de relevo plano. Avaliaram-se os efeitos de três níveis de nitrogênio (150, 300 e 450 kg/ha/ano) e cinco idades de corte (28, 35, 42, 56 e 84 dias) sobre a produção de matéria seca do capim elefante, cultivar Cameroon. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, parcelas subdivididas e quatro repetições. O capim foi plantado por meio de estacas em covas, em área irrigada por aspersão fixa de baixa vazão, com turno de rega de cinco dias. Após o corte de uniformização foram aplicados os níveis de nitrogênio, usando-se uréia. Nas idades previamente estabelecidas, foram cortadas as parcelas de cada tratamento, e retiradas amostras que foram submetidas à secagem em estufa com circulação forçada de ar a 65oC por 72 horas.

Os rendimentos de matéria seca foram incrementados com a idade das plantas, sendo os maiores valores obtidos com o corte aos 84 dias (14,96 t/ha/corte), seguido do corte aos 56 (8,47 t/ha/corte). A produção do corte realizado aos 42 dias (4,46 t/ha/corte) não diferiu da produção de 35 dias (3,09 t/ha/corte) e esse, não diferiu daquele dos 28 dias (2,68 t/ha/corte). Os cortes das plantas em estádios mais avançados de crescimento proporcionam maiores rendimentos de forragem, como conseqüência do maior período de tempo para o acúmulo de matéria seca. Entretanto, cortes freqüentes implicam, geralmente, em menor produção fotossintética devido à constante remoção da folhagem, menor acúmulo de reservas orgânicas e rebrotas menos vigorosas com o decorrer do tempo. A aplicação de 450 kg/ha/ano de N implicou em maior rendimento de forragem, superando em 15% a aplicação de 300 kg/ha/ano de N e em 30% a aplicação de 150 de kg/ha/ano de N. A eficiência do nitrogênio aplicado, independentemente das idades de corte, foi inversamente proporcional às doses aplicadas: 39,2; 22,1 e 17,0 kg de MS/kg de N, respectivamente para 150; 300 e 450 kg de N/ha/ano.

Expedito Aguiar LopesEnvie um email!
Pesquisador - EMBRABA/CNPC
Braz Henrique Nunes RodriguesEnvie um email!
Pesquisador - CPAMN
João Avelar MagalhãesEnvie um email!
Pesquisador - CPAMN

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • Capim elefante (cameroom) para fenação
    Muito bom o artigo. Parabéns. Gostaria de mais informações. Tenho uma Fazenda na caatinga, região de Manoel Vitorino, e estou arando uma área para plantar este capim, que no período da sêca pretendo irrigar. A pergunta é: a água é salobra (mas o humano tb. bebe) e dá para fenar? Antecipadamente, meus agradecimentos. Humberto
    Humberto Meira - 07/12/07 10:58

  • produção de feno
    Achei interessante o artigo de linguagem acessível aos produtores, obrigado pela contribuição. Gostaria de perguntar aos srs.: Capim mineirão e o elefante verde também serve para fenar? Grata pela atenção, Angelica
    maria angelica alves - 14/09/06 11:11

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br