Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Proteína Ideal na Formulação de Dietas para Suínos e Aves

04/06/2007

:. Do mesmo autor
Mitos e Verdades sobre o Colesterol de Ovos de Consumo

No Brasil e na maioria das regiões do mundo, as rações para suínos e aves são formuladas à base de milho e farelo de soja, que, normalmente, suprem as necessidades em energia e proteína, mas não completamente em aminoácidos essenciais. Durante muitos anos, as formulações de rações para monogástricos foram baseadas no conceito de proteína bruta, o que resultou em dietas com conteúdo de aminoácidos acima do exigido pelos animais.

Com o avanço tecnológico na fabricação de aminoácidos sintéticos pela indústria e a acessibilidade de custo ao uso destas fontes, a eficiência de utilização da proteína nas rações passou a otimizar a produção.

Apesar disso, a formulação de dietas para suínos e aves vêm sendo, a alguns anos, baseada nos valores de aminoácidos (AAs) totais. A formulação de rações com base em aminoácidos totais é menos eficiente do que aquela feita com base em aminoácidos digestíveis, provavelmente, em virtude das diferenças de digestibilidades dos aminoácidos em cada alimento. Os estudos têm demonstrado que os valores de aminoácidos totais empregados nas rações podem estar superestimando as estimativas, causando deste modo, elevação da poluição ambiental (pela maior excreção de nitrogênio) e onerando o custo final da ração (pelo excesso), além de afetar o desempenho dos animais. Portanto a formulação de dietas aplicando-se a digestibilidade dos AAs permite que o nutricionista atinja as reais necessidades protéicas das aves.

As recomendações nutricionais de aminoácidos adotadas nas tabelas e manuais de criação, geralmente, foram obtidas de forma isoladas em experimentos de desempenho. Essas estimativas podem não ser tão eficientes, quanto às estimativas obtidas com base na relação ideal entre lisina e os AAs essenciais. Para solucionar este problema é que a nutrição de suínos e aves, vem desenvolvendo desde a década de 60, estimativas de AAs com base no conceito de proteína ideal.

A proteína ideal é definida como o balanço de aminoácidos que atende os requerimentos dos animais sem deficiência ou excesso, evitando desvio de aminoácido essenciais para formar aminoácidos não-essenciais ou forma energia. A proteína ideal refere-se à relação da lisina com os demais aminoácidos. A lisina foi escolhida como AAs de referência (padrão), devido apresentar praticidade na análise, baixo custo de suplementação, bastante estudo realizados e principalmente, por ser quase que totalmente utilizada para deposição de proteína no corpo e no ovo. Portanto, no conceito de proteína ideal, o pesquisador tem que atualizar apenas as exigências de lisina, pois, as exigências dos demais aminoácidos são calculadas a partir de relacionamento com lisina, descrito em tabelas de recomendações nutricionais.

A grande vantagem da proteína ideal é evitar os tipos de imbalanço entre aminoácidos: deficiência, antagonismo e toxidade. Isso propicia um menor suprimento de aminoácidos reduzindo o preço da dieta; menor excreção de nitrogênio, por reduzir os altos níveis de proteína da ração e, objetiva melhorar a eficiência de utilização do nitrogênio presente na matéria-prima. Além disso, o conceito de proteína ideal vem se expandindo, viabilizando o uso de ingredientes alternativos com resultados mais expressivos sob o desempenho de monogástricos.

Apesar da proteína ideal se adaptar facilmente a uma série de situações, como condição climática, sexo e idade do animal, nível energético e protéico da ração, em função das proporções permanecerem estáveis, no entanto, os reais benefícios econômicos e ambientais ao formular dietas com base no conceito de proteína ideal ainda têm sido pouco explorados na alimentação de suínos e aves.

José Jordão FilhoEnvie um email!
Estudante - UFPB

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • Aminoácidos limitantes
    Poderia por gentoleza me informar onde adquiro esse conteúdo: Aminoácidos limitantes. Obrigada.
    Leticia Queiroz - 07/10/09 12:45

  • resumo!
    por favor gostaria de saber se tem como passar um resumo bem resumido mas bem detalhado sobre a implantação de aminoacidos,por varios motivos,ao inves de proteinas bruta. obrigada!
    Mariana - 09/09/09 11:20

  • Proteina Ideal
    O conceito de Proteína ideal realmente é muito iteressante, e para a produção seria perfeito,pena que para os animais as necessidades de aminoácidos depende das de suas funções fisiológicas, alguns necessitam menos outros precisam mais.Isso é um desafio para a ciência.
    Patricia - 01/07/09 12:54

  • Proteína idela
    Extremamente interessante o artigo. Trabalho com peixes e o conceito de proteína ideal já sendo amplamente utilizado. As justificativas do seu uso nesse artigo foram bastante pertinentes.
    Paula - 14/05/08 09:39

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br