Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Recuperação de áreas degradadas e restauração florestal em Roraima - iniciativas promissoras

27/01/2006

:. Do mesmo autor
A biodiversidade como estratégia para o desenvolvimento

A restauração ecológica, definida como “ciência, prática e arte de assistir e manejar a recuperação e integridade ecológica dos ecossistemas, incluindo um nível mínimo de biodiversidade e de variabilidade na estrutura e funcionamento dos processos ecológicos, considerando seus valores ecológicos, econômicos e sociais” (SER, 2005), tem evoluído como ciência no Brasil desde o século XIX, quando se registra a primeira ação efetiva de reflorestamento sem fins produtivos no país. A época, o Major Manoel Gomes Archer e seis escravos plantaram 60 mil árvores em uma área de 16 milhões de metros quadrados na Floresta da Tijuca. Desde então, se tem observado um aporte crescente de pesquisa e desenvolvimento de atividades de restauração ecológica, principalmente no bioma Mata Atlântica.

Historicamente as pesquisas com restauração ecológica no Brasil se iniciaram na década de 1980, com um projeto de pesquisa desenvolvido em cooperação entre a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (ESALQ-USP), sob liderança do Prof. Dr. Paulo Yoshio Kageyama, e o Departamento de Água e Esgotos do Município de Piracicaba (DAEE-Piracicaba). Este projeto, finalizado em 1984, visava estudar as cabeceiras do Rio Corumbataí e foi, sem dúvida nenhuma, a primeira abordagem a reconstruir matas ciliares, exclusivamente com espécies nativas (Kageyama et al. 2004). Desde então, muitos pesquisadores e técnicos se envolveram com o tema, inúmeros grupos de pesquisa foram criados, e toda uma teoria e prática da restauração ecológica foi desenvolvida no Brasil (Kageyama, 2004).

Na Embrapa, alguns grupos de pesquisa foram formados, entre os quais merecem destaque os trabalhos da Embrapa Cerrados, com restauração de áreas de mata de galeria e outras fisionomias de cerrado; da Embrapa Agrobiologia, com recuperação de áreas mineradas e encostas; bem como da Embrapa Florestas, cujo foco principal é a restauração de ambientes florestais fluviais.

A preocupação com a conservação biológica e com a restauração de ecossistemas sem dúvida nenhuma vem crescendo no Brasil. Um exemplo disto é o grande número de propostas de projetos recebidos pelo Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA), em seu edital 02/2005, que trata da recuperação e plantio de matas em nascentes e em margens de rios, córregos e lagos. Ao todo, foram recebidos 254 projetos, caracterizando o maior volume de propostas recebidas em 16 anos de funcionamento do FNMA.

Ainda assim, percebe-se que, na Amazônia brasileira e notadamente no Estado de Roraima, a presença de extensas áreas com vegetação nativa suscita em muitos setores da sociedade a idéia de que não há a necessidade do aporte de investimentos para restaurar áreas degradadas. Entretanto, anualmente são divulgadas taxas alarmantes de desflorestamento da Amazônia, que apontam para uma situação de risco da floresta. Adicionalmente o modelo vigente de ocupação e uso do solo, baseado na utilização do fogo como ferramenta para renovação de pastagens e conversão de áreas para a agricultura itinerante, vem contribuindo para a redução da resiliência de extensas áreas convertidas, onde mesmo após anos de abandono não há regeneração natural da floresta.

Páginas: anterior 1 2 próxima Topo da página


Patrícia da CostaEnvie um email!
Pesquisadora - EMBRAPA/CPAFRR

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • Bibliografia
    Ótimo artigo, faltou colocar a bibliografia.
    Rafael - 15/04/09 15:47

  • Restauração de Ecossistemas
    O Brasil ainda hoje é muito carente em profissionais qualificados para executarem tais projetos de restauração, pois iniciativa não falta; são realizados no Estado de São Paulo projetos para recuperar nossas florestas e são dadas oportunidades para alunos, jovens pesquisadores da área participar do projeto como estagiários, aumentando seu grau de conhecimento e os qualificando para futuros restauradores. O Brasil é imenso e área para restaurar não vai faltar, por isso aprovo e agradeço essas iniciativas que futuramente terão grandes resultados.
    Bio - 03/03/09 11:12

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br