Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Um negócio moderno

27/05/2003

:. Do mesmo autor
O Marketing e o Agronegócio

O Marketing e o Agronegócio II

Porque sou favorável à soja transgênica - divagações de um pragmático

Nosso grande diferencial

Competentes e Maléficos

Novos instrumentos de Marketing no agronegócio

Novidade: Cooperativas de Cachaça

O Estado moderno

Marketing do Agronegócio III - Uma Nova Roupagem

Responsabilidade Social

Mais instrumentos para a empresa cooperativa

Antes de o brasileiro ser um sonho, na imaginação de algum sonhador, já existia a galinha. Darwin considera que são descendentes do galo banquiva, ave selvagem que vive na Índia. Segundo a Enciclopédia Encarta, a “galinha é um dos primeiros animais domésticos mencionados na história escrita. Há referências a esse animal em antigos documentos chineses, com indicações de que essa ‘criatura do Ocidente’ foi introduzida na China antes do ano 1400 a.C”. É símbolo nacional na França e seu canto simboliza a ressurreição de Cristo.

Três mil e quinhentos anos depois, o brasileiro consegue produzir frango com tecnologia própria, tanto administrativa como científica, e começa a derrubar todas os recordes de produção e qualidade. Hoje somos padrão mundial no setor.

De herói do Plano Real a locomotiva das exportações, o produtor nacional de frangos separou a produção do frango, de sua criação e abate, conseguindo criar “fábricas” da saudável e necessária proteína animal que alimenta várias regiões do mundo. Seria um excelente negócio se o mercado, tão endeusado pelos países ricos, fosse um deus sério, correto. Não o é. Sofre influências, suga riquezas de uns em benefício de outros, transitando numa via paralela àquela defendida pelos verdadeiros liberais. Foi então que começaram a consertar o mercado para garantir a boa vida nos países ricos. Continuaram a pregar a abertura enquanto fechavam suas fronteiras comerciais. Novas ferramentas foram criadas: barreiras sanitárias, privilégio a determinados países (ex-colônias, fornecedores de droga etc.), dumping e os famigerados subsídios, verdadeiras máquinas de distorção de mercados.

Este é o mundo, cruel e disforme, onde economias pouco desenvolvidas tentam superar suas limitações e desenvolver sua sociedade. Difícil tarefa que deverá ser costurada, garimpada através de negociações, difíceis e demoradas, mas necessárias.

Entendemos que o Associativismo e o Cooperativismo, a terceira via que surge entre o sonho socialista e a dura e deformada realidade capitalista, seja o caminho. Nacional e internacional. O Brasil está aquém das expectativas quanto à participação da produção cooperativada no total do PIB. Os países mais adiantados têm participação bem maior. Há um ressurgimento nos ideais cooperativistas por estas bandas, após o relacionamento conturbado e esdrúxulo da Cooperativa e o Estado, em décadas passadas.

Ressurge a esperança num governo comprometido com o cooperativismo e no Ministro da Agricultura escolhido, Roberto Rodrigues, de prestígio internacional justamente por seu conhecimento e trabalho em prol do cooperativismo. Quem sabe é agora...

Marcos Garcia JansenEnvie um email!
Diretor de Política Agrícola - SEAPA

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

  • analise mercado de cafe
    gostaria de saber e conseguir dados confiaveis sobre producao e consumo do cafe no mundo uma vez que o que se encherga sao dados imprecisos,manipulados,mal apresentados assim como dos estoques para que possamos estudar que rumo tomar uma vez que o consumo do cafe e inelastico!! e o aumento da producao atravez dos precos pode provocar grandes os grandes desajustes na maior parte das economias dos paises em desenvolvimento!!a solucao e o aumento do consumo combinado com oaumento da oferta planejada,assim como estoques reguladores de tal forma a nao deixar os produtores arcarem sozinhos com o onus do clima, do preco nao remuneratorio e da manipulacao do mercado,diluindo a comercializacao ,nao permitindo que a concorrencia e os compradores persigam e tenham pleno conhecimento do vencimento dos financiamentos!!Nao acha? Com relacao ao artigo gostei de algumas observacoes!!
    fernando c.souza barros jr - 03/05/07 21:51

  • artigo-um negocio moderno
    A ligaçao entre o associativismo e cooperativismo com a tao procurada e almejada terceira via e'o ponto alto do artigo que precisa ser levado a discussao em todas as oportunidades.Nao ha ferramenta melhor para se conseguir uma relaçao mais justa entre capital e trabalho,em muitos setores da economia.Por outro lado, a cooperativa tambem deve ser lembrada como alternativa operacional para a soluçao dos problemas que originaram a formaçao do MST.
    a.garcia da silveira - 22/05/05 12:25

  • adicionar contatos e parabenizar pelo artigo.

    Elias Oliveira Filho - 10/06/03 16:30

  • :. ARTIGOS RELACIONADOS

    Artigos por assunto

    Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
    Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br