Agronline
Página inicial dos artigos
Início
 
Agricultura
 
Agroinformática
 
Desenv. Rural
Economia Rural
 
Pecuária
 
Uma mensagem de esperança aos pequenos agricultores: a rentabilidade já está ao alcance de todos

31/01/2011

:. Do mesmo autor
O que pedem os agricultores e o que podem os governos: mendigar dependência ou proporcionar emancipação?

A escola rural deve formar "solucionadores de problemas"

Como enfrentar a crise da agricultura: lamentando os problemas insolúveis ou resolvendo os problemas solucionáveis?

Rentabilidade na agricultura: com mais subsidios ou com mais profissionalismo?

Agricultores, abram os olhos: não se dediquem apenas à etapa POBRE do agronegocio

A educação rural está fora de rumo: os agricultores sofrem por falta de conhecimentos e por excesso de individualismo

“Não somos ricos pelas coisas que possuímos, mas pelo que podemos realizar sem possuí-las.” (Immanuel Kant - filósofo alemão)

“O ideal não consiste em fazer coisas extraordinárias, mas sim em fazer coisas ordinárias extraordinariamente bem feitas.” (São Vicente de Paulo)

Inicio esta mensagem afirmando que é muito pouco ou quase nada o que os pequenos agricultores brasileiros podem esperar dos seus governos. Esta asseveração é consequência da clara e reiterada constatação da ineficácia das políticas públicas em prol do desenvolvimento rural. Assim o tem demonstrado, durante mais de cinco décadas, os fracassos dos seus, muitos e muito dispendiosos, programas assistencialistas que não foram capazes de reduzir e muito menos de erradicar a pobreza rural. Em virtude desta ineficácia lhes proponho, concreta e objetivamente, que não continuem perdendo mais tempo com pseudo-soluções que os mantêm eternamente dependentes do humilhante paternalismo governamental. Com tal fim lhes sugiro que comecem, agora mesmo, a construir um desenvolvimento mais endógeno e mais auto-dependente que os emancipará das efêmeras e excludentes ajudas governamentais.

Será muito mais construtivo que o tempo que dedicavam àquelas utopias paternalistas, a partir de agora, o utilizem a:

- assessorar-se com um bom extensionista que lhes oriente a ser mais eficientes;

- visitar os produtores rurais economicamente bem sucedidos da sua comunidade;

- participar de eventos de difusão de tecnologias;

- estudar textos que recomendam como ser mais eficientes na produção, na administração da propriedade e na comercialização agrícola;

- aumentar a quantidade e melhorar a qualidade da produção;

- reduzir os custos por kg produzido;

- incorporar valor às colheitas;

- comprar insumos e vender o que produzem com menor intermediação.

E, como consequência da correta adoção destas medidas "eficientizadoras", simplesmente emancipar-se das retóricas "ajudas" governamentais. Observem que atualmente, graças à Internet, vocês têm à sua disposição, de forma quase gratuita, os melhores agrônomos e veterinários, dentro dos computadores instalados nos seus sindicatos e, de forma crescente, até nas suas residências. Se vocês desejarem analisar a conveniência de trilhar este novo caminho (da esperança, do resgate da dignidade e da auto-estima) sugiro que iniciem este processo de emancipação adotando de forma gradual as medidas descritas a seguir.

1) Para chegar ao desejável é necessário partir do possível. Quem conhece, de forma vivencial, as extraordinárias potencialidades produtivas da nossa agricultura, sabe que para ter êxito econômico nesta atividade, nem sempre (e não necessariamente) se requer de altas decisões políticas, créditos abundantes, grandes extensões de terra, investimentos em maquinaria de alto custo, nem de tecnologias sofisticadas. Muitíssimo mais importante e eficaz que o anteriormente mencionado é evitar, corrigir e/ou eliminar as ineficiências que, sem dar-se conta, a maioria dos agricultores ainda está cometendo na forma como produz, como administra suas propriedades e como comercializa suas colheitas. Evitar, corrigir ou eliminar estas ineficiências custa muito pouco, mas tem uma surpreendente eficácia no incremento da renda das famílias rurais. Na era dos mercados globalizados vocês terão que competir com os agricultores mais eficientes do mundo e, por esta razão, necessitam tornar-se cada vez mais eficientes e profissionalizados. É evidente que será difícil atingir tais objetivos de forma abrupta. Por esta razão lhes sugiro que...

Páginas: anterior 1 2 3 próxima Topo da página


Polan LackiEnvie um email!
Pesquisador - FAO

  Enviar este artigo por e-mail  Imprimir este artigo  Como citar esse artigo 
:. COMENTÁRIOS
    Clique aqui!  E deixe seu comentário sobre o artigo!

:. ARTIGOS RELACIONADOS

Artigos por assunto

Administração Agribusiness Agricultura de Precisão Agricultura Familiar Agricultura Urbana Agroecologia e orgânicos Agroindústria Agronegócio Agropecuária Familiar Agropesquisa Alimentação Apicultura Avicultura Boi verde e Pecuária orgânica Bovinocultura Caprinocultura Ciência florestal Climatologia Comércio internacional Comunicação Contaminação de águas Cooperativismo Crédito agrícola Crédito Rural Crise Energética Desenvolvimento Rural Desenvolvimento Sustentável Ecologia Educação Exportação Extensão Fauna Silvestre Fertilidade do Solo Fertilidade e conservação do solo Fitopatologia Fitotecnia Forrageiras Fruticultura Genética Horticultura Internet na agricultura Irrigação e Drenagem Marketing Meio ambiente Nutrição animal Ovinocultura Paisagismo Pecuária Leiteira Piscicultura Plantas Daninhas Plantas Medicinais Plantio direto Pragas e doenças Rastreabilidade Animal Sanidade animal Segurança Alimentar Seguro agrícola Sementes Suinocultura Tecnologia Transgênicos Zoonoses
Copyright © 2000 - 2017 Agronline.com.br